Projeto 47

Amanda Campelo
listinha das peças que realmente são necessárias

listinha das peças que realmente são necessárias

De uns tempos pra cá, comecei a pensar em adotar um consumo mais “consciente”. Quer dizer, mudar a minha ideia sobre isso, porque antes, pra mim, consumo consciente tava mais ligado às proporções que isso atingiria a minha carteira e não o meio ambiente >que feio, Amanda< Daí eu comecei a ler mais coisas sobre isso e que se eu tô me dando bem ao comprar uma roupa a preço de banana, alguém tá ganhando menos ainda para produzir aquela peça que eu comprei. Bem, eu sei que isso é muito simples e evidente, mas em uma sociedade como a nossa, às vezes, colocamos os nossos interesses acima de tudo e não enxergamos o resto. E não é errado reconhecer isso, inclusive eu me sinto muito bem por admitir isso agora, aos 21 anos, do que chegar aos 50 comemorando ao ter comprado 3 camisetas por 30 reais enquanto alguém costura outras peças que vão ser vendidas pelo mesmo preço em alguma fábrica clandestina pelo mundo. E depois dessa lâmpada acender aqui, os meus hábitos mudaram um pouco. Ainda não é o ideal, mas vamos lá.

O primeiro de tudo é que eu reduzi os habitantes do meu guarda-roupas em mais de 50%. Separei várias peças pra doar pro The Street Store Belém, que rolou em agosto; dei umas peças pra uma moça que mora aqui perto de casa que veste o mesmo que eu; separei outras boas peças para dar para uma amiga da minha mãe que doa para umas famílias do interior do estado; e vendi tantas outras tantas no Bazar Muvuqueiro, que também rolou em agosto, e no da Oiam que foi há uns dois sábados.

O Bazar Muvuqueiro foi uma parceria nossa com a Muvuca na Cumbuca - Semana de Comunicação da UFPA e a Da Tribu :3

O Bazar Muvuqueiro foi uma parceria nossa com a Muvuca na Cumbuca – Semana de Comunicação da UFPA e a Da Tribu :3

Quando parei pra fazer essa limpa no guarda-roupa percebi que haviam muitas peças que eu, literalmente, não usava há anos. E por coincidência vi um post falando sobre “armário cápsula”, conceito que estimula que você tenha um guarda-roupa mais objetivo e não necessariamente limitado, afinal, sempre existe aquela peça que combina com todas as outras, né, manas? E com base nisso fui listando o que realmente seria útil de se ter no meu guarda-roupa. Ou seja, uma quantidade de roupas que seria o suficiente pra viver sem o automático “SOCORRO QUE EU NÃO TENHO ROUPA NENHUMA DEUS ME LEVA”.

Assim cheguei ao número 47. Nesse conjunto estão: 21 peças de cima (2 kimonos, 2 casaquinhos, 1 blazer, 2 camisas sociais, 1 camisa jeans, 1 camisa de manga, 7 camisetas, 2 regatas lisas e 3 regatas estampadas); 21 peças de baixo (3 calças jeans, 1 legging preta, 2 calças de tecido, 3 saias longas, 3 saias curtas, 2 saias midi, 2 saias lápis, 3 shorts jeans e 2 shorts de tecido); 5 vestidos (1 longo, 2 estampados, 2 lisos).

Vai desculpando se a conta deu errado. É que:

SOU DE HUMANAS

Eu sei que pra muita gente esse número ainda pode ser alto e que algumas peças podem ser eliminadas daí, mas se levar em consideração a quantidade de roupa que eu tava acostumada a ter a minha disposição isso daí é quase nada, né? Então vamo adotar aquele ditado do “devagar se vai longe”, até porque aos poucos é menos choroso :\ Por enquanto, tô com camisetas a mais e alguns vestidos e saias a menos, mas espero que aos poucos consiga equilibrar e atingir a minha meta das 47. Os sapatos e bolsas são a parte, mas também estão na vibe do desapego.

Comecei a escrever esse post em setembro e confesso que de lá pra cá eu caí em tentação. Isso porque saíram mais peças do meu guarda-roupa e eu tava ficando sem roupa boa pra apresentar o programa que faço na TV Cultura. Quando pela quarta vez seguida usei a mesma sapatilha nas matérias, vi que o negócio tava feio e precisei comprar dois sapatos e algumas peças de roupa @-@ Mas prometo que de hoje em diante vou tentar voltar ao pensamento que eu tava em setembro.

Acompanhem tudo por aqui e pelas redes sociais. E, é claro, torçam por mim.

Mandem vibes positivas.

E se tiver alguém numa situação semelhante, compartilha comigo!

Beijinhos!

5 comentários sobre “Projeto 47

  1. Acho isso o máximo. Sou uma pessoa bem desapegada, do tipo que se incomoda de ver coisa parada. Se não tem utilidade vai embora.
    Acho que (no meu caso) tem muito a ver com a ideia de ser independente e gastar menos tempo com obrigações (lavar, passar, guardar) e dedicar esse tempo para a criatividade (costurar, blogar, ler…)

    Tô contigo, mana!

    Beijão!
    Debb Cabral
    http://www.gatoqueflutua.com.br

  2. Pingback: Projeto 47 – parte 2

  3. Já tinha feito uma limpeza no closet…daí fiquei 2 semanas sem saber o que comprar…então vi a Amanda no Sem Censura…adorei as dicas… vou começar por aqui! 😀

Gostou das dicas?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s