Sobre moda e (a falta de) representatividade

DSC_8822_copia

Eu sei que esse não é um assunto muito frequente aqui no blog, isso porque eu não sou muito do tipo que fala de questões raciais em redes sociais, mas ultimamente tenho pensado que é bacana compartilhar minhas ideias com vocês, mesmo que ainda de forma levemente superficial.

Pra começar eu queria fazer uma pergunta pra vocês: Quantas blogueiras brasileiras ~tops~ que vocês conhecem são negras? Bem, pelo menos eu não conheço nenhuma. Camila Coutinho/Coelho, Taciele Alcoléa, Bruna Vieira, Julia Petit, Juliana Góes, Just Lia e etc…todas brancas! Não que elas sejam culpadas por serem pops e brancas, mas o problema mesmo é que num pais que tem mais de 50% da população formada por negros (dados do IBGE – 2015) nenhuma dessas personalidades se encaixa aí.

Eu mesma cresci com pouquíssimas ou quase nenhuma referência de mulher negra (que não fosse da família, é claro). Todas as mulheres que eu admirava e que estavam na mídia eram brancas e isso tornou quase impossível que eu me achasse bonita por muito tempo. E isso acontece com muitas meninas. Afinal, como tu vais te achar bonita se quando olha as revistas percebe que nenhuma das pessoas ditas “mais bonitas do mundo inteirinho” se parecem com você? É foda.

DSC_8857_copia

Uma fotinha no meio do post pra não ficar parecendo textão

É claro que eu tenho as minhas referências de negras maravilhosas no quesito digital influencer, como já mostrei por aqui, mas infelizmente elas ainda são muuuuito poucas. E era justamente aqui que eu queria chegar, pois foi daí que surgiu a ideia do post. Eu sempre procuro referências de looks e de fotos na internet. Antes de comprar minha Melissa Boemia pesquisei horroreeees e adivinhem só? 42172782 imagens e quase nenhuma negra. Se achei duas foi muito, mas foi aos 14 da prorrogação :\

Primeiro eu fiquei mó triste, mas depois percebi que o fato deu poder mostrar meus looks aqui quase toda semana contribui para que esse cenário mude um pouquinho. Quer dizer, não é que eu queira ser a blogueira favorita de todas as meninas negras. Mas eu realmente quero que elas tenham mais referências para que possam perceber que são bonitas do jeito que são. Quero que o que eu só vim perceber depois dos 15 chegue mais cedo pra elas.

DSC_8850_copia

Então hoje eu usei e abusei da famosa “estampa étnica” no look. Eu amoooo essa bata justamente por causa da estampa, porque acho que ela é praticamente uma definição de identidade. A amo e vou defendê-la hehe É um dos meus grandes achados do Comércio. Comprei ela ali na Santo Antônio em uma daquelas barraquinhas perto da Yamada de Eletrodoméstico e custou apenaxxx 35 dilminhas ❤

DSC_8839_copia

Pra complementar o look apostei em acessórios em dourado, principalmente o maxi colar. Comprei ele na Riachuelo e tava na promoção. Saiu por uns R$19,90, sendo que ele era uns R$49,90. Por último e mais importante, a Melissa que comprei no início do mês e que fez surgiu a ideia do post e de vida. Tomara que o Google mostre de cara a minha foto pra que as minhas pretinhas não tenham que ver 3151718 páginas até encontrarem uma negra.

Então é isso, espero que vocês tenham curtido o post e o fato deu ter compartilhado com vocês essa ideia 🙂

Bata: Comércio/ Sandália: Melissa/ Colar: Riachuelo/ Bracelete: Morana.

Agradecimentos especiais: Luana Leão pela maquiagem maravilhosa ❤

Gostou das dicas?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s