Cabelo bom é cabelo seu!

LRM_EXPORT_20170323_144842

Não sei se vocês sabem/lembram, mas meu cabelo nem sempre foi assim desse jeitinho. Desde os 12 anos passava alisante no cabelo pra ele “ficar mais solto e menos cricri” que na minha opinião e, principalmente, das pessoas próximas a mim deixaria ele mais bonito. Só percebi que isso era leseira lá em 2014 e comecei o meu processo de transição. Parei de passar química pra alisar meus cachos e foi sofrido, viu? Várias vezes eu quis desistir e passar de novo a química pro meu cabelo não ficar com várias texturas, mas segui firme. Em agosto do ano passado resolvi fazer o big chop e cortei toda a parte alisada da minha peruca e foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido, sério! Hoje eu me amo 10x mais e a minha parte favorita do corpo inteiro é o meu cabelo. Gasto horrores de tempo e dinheiro nele e faço isso com todo o prazer do mundo ❤

Mas não vim pra falar do meu cabelo. Só fiz essa pequena introdução pra chegar nessa parte bem aqui. Na época em que eu decidi me livrar de vez da parte com química que ainda tava no meu cabelo, duas cantoras estavam direto na minha playlist: Aíla e Liège. Daí acabou que juntei duas frases de músicas de cada uma delas e tomei coragem pra me livrar de tudo o que significava ter um cabelo que não era meu.

Eu não vou mais esperar, eu quero é me libertar – Lesbigay (Aíla)

Cabelo bom é cabelo seu – Cabelo (Liège)

Daí que dia desses eu tava ~surfando~ na Internet e descobri o projeto “Cabelo Bom é Cabelo Seu” da Liliane Moreira que também foi inspirado na música da Liège. A ideia desse projeto fotográfico é empoderar as pessoas com todos os tipos de cabelo, por meio de fotos leves e ao mesmo tempo fortes que mostram um manifesto de liberdade capilar e de vida! Daí resolvi conversar com ela pra saber mais sobre essa ideia maravilhosa. Olha só:

luana

Fotografias de Liliane Moreira

Como que esse babado começou? Já era fã da Liège há um tempo. Já gostava muito da música ‘Cabelo’ do EP dela. Sempre mexeu comigo isso de ‘cabelo bom é cabelo seu’, sabe? De liberdade. Eu pensava nessa frase e imaginava todos os tipos de cabelos voando, em movimento. Decidi que não podia deixar isso ficar só aqui dentro. Aí resolvi começar um teste. Marquei um ensaio com a Luana, que é minha melhor amiga e que eu sabia que toparia. Além de conhecer bem de pertinho a relação de desprendimento total dela com o cabelo. Isso foi mais ou menos no dia 1 ou 2 de fevereiro. Foi quando o projeto começou de verdade.

Como funciona a seleção das pessoas que vais fotografar? Escolho as pessoas pela personalidade que os cabelos delas manifestam. Durante os ensaios a gente sempre conversa. Eu sempre procuro saber porque a pessoa aceitou o convite, como ela se sente com esse cabelo, como era antes, o que mudou nela. É mais um encontro do que um ensaio, é terapêutico (inclusive, também sou psicóloga e talvez tenha vindo daí a vontade de fotografar algo como as relações das pessoas com elas), eu costumo dizer.

LSM_6701-5_copia

Algumas pessoas se emocionam durante o ensaio. E eu saio uma pessoa diferente depois de trocar tanta energia. Acho interessante também notar como no começo das fotos (e do bate-papo) o olhar das pessoas é um, a postura tá de um jeito. No final já é totalmente diferente. Elas notam isso também. É energia fluindo mesmo. Então faço as fotos enquanto tô conversando e entendendo a relação de cada um com as escolhas que fizeram.

E qual a relação que tens com o teu cabelo? A minha relação tá sendo muito forte agora, de um tempo pra cá. Sempre alisei, já pintei de vermelho, de preto. Depois de ouvir muitos conselhos para deixar natural, ele tá totalmente natural. E talvez eu nunca tenha gostado tanto dele quanto gosto hoje. E de mim também, de quem eu venho me tornando.

tereza

Se alguém quiser se candidatar pra ser fotografado, pode? Algumas pessoas já me procuraram pelo Instagram pedindo pra participar do projeto, inclusive gente de fora de Belém. E eu adoro isso! Ao que me parece, as pessoas tão mesmo sendo tocadas de alguma maneira. E elas geralmente chegam me contando que gostariam de participar justamente pela história que trazem. Nunca é algo como ‘gostei dessa foto, queria uma igual’. É sempre mais do que isso, é mais o sentimento. O que me faz acreditar que tô no caminho certo.

Surra de amor ❤ Olha só, por enquanto o projeto tem ‘apenas’ um perfil no Instagram  e as novidades também são postadas no perfil pessoal da Liliane. Se tu gostaste temos uma ótima notícia! Amanhã (24) vai rolar o lançamento ~oficial~ do projeto lá na Casa Oiam. Pra saber mais é só dar uma olhadinho no evento do Facebook.

17457507_1808930839369453_3534479623059198332_n

Gostou das dicas?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s